Criado há 7 anos, aplicativo da Caixa recebe só 1% dos jogos na Mega Sena

Correntistas da Caixa Econômica podem usar o aplicativo de celular do banco para apostar na loteria desde 2010. Mas o recurso ainda não emplacou. Só 1% dos jogos da Mega Sena é realizado pela plataforma digital.

A Mega da Virada de 2016 registrou 53,6 milhões de apostas para concorrer ao prêmio de mais de R$ 220 milhões, o maior valor pago no ano. Do total de jogos feitos, só 485.146 foram registrados pelo Internet Banking da Caixa.

Um site e 1 aplicativo específicos para apostas nas loterias estão em desenvolvimento pela Caixa. Mas ainda não há data marcada para o lançamento. Hoje, o único aplicativo oficial permite apenas conferir resultados dos sorteios e localizar a lotérica mais próxima. Mesmo no ambiente digital, pessoas menores de 18 anos continuam proibidas de fazer jogos e as novidades em desenvolvimento manterão a restrição.

A Caixa Econômica detém o monopólio sobre as loterias. Um decreto presidencialassinado em 1970 pelo então presidente, general Emílio Garrastazu Médici, determinou que somente a União pode explorar esse tipo de jogo. A Caixa é a única instituição habilitada para organizar os sorteios. Cabe a ela credenciar as casas lotéricas e revendedores para que possam comercializar as apostas.

A Caixa ainda não reconhece nenhum outro meio de realizar apostas on-line, além de seu próprio aplicativo e de seu canal de internet banking. Não existem aplicativos ou sites com essa finalidade desenvolvidos por empresas privadas. O modelo difere de outros países, como os EUA, Espanha e França, que permitem que empresas privadas operem as loterias.

SERVIÇO INTERMEDIÁRIO

Mesmo com a impossibilidade de realizar os jogos, há iniciativas digitais que tentam lucrar com as loterias brasileiras. O aplicativo Sorte Sim, lançado em agosto, permite que os jogos sejam feitos pelo celular, sem que a pessoa precise ir até o guichê.

O app é 1 intermediário entre o apostador e as lotéricas. No levantamento realizado pela Caixa em 2016, eram 13.071 lotéricas em 5.431 municípios.  As casas cadastradas na plataforma recebem a aposta e registram os jogos. Após a confirmação, 1 comprovante digital é emitido como recibo da aposta.  O aplicativo também informa sobre os dias de sorteio e os resultados.

O serviço custa R$ 1,25 além do valor dos jogos. Segundo a empresa, como a aposta continua sendo realizada por estabelecimentos credenciados, não há irregularidade.

O investimento na plataforma foi de R$ 2,5 milhões. A expectativa é que 1 milhão de pessoas usem o serviço até o final de 2018. Em 3 meses, 144 clientes ganharam alguma premiação, a maioria nos concursos da Lotofácil.

Deixe seu comentário