Sistema cashless: cartão inteligente sem dinheiro

O sistema cashless facilita o controle sobre o dinheiro que será apostado nos bingos e cassinos ao impedir a introdução de moedas ou cédulas nas máquinas vídeo-bingo e vídeo-jogo.

Na proposta do senador Benedito de Lira a introdução do cashless estava prevista com o seguinte enunciado: “O sistema de gestão de controle (SGC) de que trata o § 6º deste artigo deverá funcionar sob condição cashless, em bingos e cassinos, o que, para efeitos desta Lei, corresponde ao impedimento de introdução de moedas ou cédulas de dinheiro nas máquinas eletrônicas e de armazenamento de créditos em cartão, com a identificação do jogador, em conta única.”

O sistema cashless é uma tecnologia que traz benefícios para vários tipos de eventos e, embora já seja bastante utilizada no exterior, ainda está conquistando o mercado brasileiro aos poucos. Apesar do nome complicado, o sistema elimina o uso de dinheiro e cartão de crédito e débito nas casas de jogos. Para isso, são usados cartões com chip que proporcionam ao apostador fazer uma recarga pré-estabelecida de um valor “x” para gastar na casa de jogos. E tudo isso é feito de maneira criptografada, o que garante mais controle, segurança e comodidade para todos os envolvidos.

Sistema em discussão no Euromat Summit

O primeiro dia da Euromat Summit, que está sendo realizado em Monte Carlo foi dominado pelo sistema cashless (pagamento sem dinheiro) e pelo crescimento dos centros de entretenimento familiar. O evento – a única grande conferência anual para o setor de jogos físicos – está sendo realizado no Monte Carlo Bay Hotel and Resort, em Mônaco e está recebendo mais de 100 delegados. A cúpula de dois dias contou com a participação de operadores de vários países europeus, liderados pelo Reino Unido, mas com fortes contingentes da Alemanha, Espanha, Holanda e representação menor da Bélgica, França e Europa Oriental. Outras discussões do encontro são sobre questões de autoexclusão, proteção ao jogador, problemas com jogos de azar e responsabilidade social.

Deixe seu comentário